10 vezes em que bandas pararam shows para salvar seus fãs

Desde Kurt Cobain impedindo abuso sexual até Chester Bennington salvando vida de fã, veja momentos que precisaram de intervenção dos artistas

10 vezes em que bandas pararam shows para salvar seus fãs
Fotos Reprodução/YouTube

Shows são momentos de muita catarse, mas acontece que às vezes os ânimos se extrapolam um pouco e é preciso parar o espetáculo.

Justamente por isso, a Loudwire fez há algum tempo um compilado que mostra 10 vezes em que bandas pararam shows para salvar fãs por diversos motivos.

É claro que o mais comum é o fato de alguém ter se machucado e precisado de socorro durante a apresentação — na seleção do portal, é o que aconteceu com Stone Sour, Linkin Park, Hatebreed e Trivium, sendo que em cada uma dessas vezes os vocalistas interviram para pedir ajuda dos profissionais e colaboração do público.

Há, no entanto, outras questões que ocasionaram isso. É o caso do Queen, por exemplo, onde as pessoas pareciam estar forçando a grade de segurança e obrigaram Freddie Mercury a dar uma bronca para que as outras pessoas, mais distantes, não fossem colocadas em risco.

Caso também do Chevelle, no qual parece ter havido uma confusão durante a performance e a polícia/segurança do local acreditou que alguma roda punk ou algo do tipo era uma briga e usou spray de pimenta para separar os espectadores. A banda parece desesperada no palco, se perguntando se havia algo que eles poderiam fazer e explicando que isso era normal em shows de Rock.

Por fim, mas definitivamente não menos importante, também aparecem casos onde os integrantes atentam para violência com mulheres e, pelo menos em um caso específico, impedindo uma situação terrível.

Trata-se de Kurt Cobain que, durante um show do Nirvana, percebeu um homem tentando abusar sexualmente de uma garota e simplesmente se levantou do palco e foi diretamente até o cara, que foi embora do local rechaçado.

Da mesma forma, Zack de la Rocha xingou os homens que estavam se aproveitando e “tirando a roupa” de uma mulher durante show do Rage Against the Machine e Aaron Lewis, do Staind, soltou o verbo contra alguns que estavam se aproveitando de uma garota que parecia ter 15 anos. Fonte: R7

Shows são momentos de muita catarse, mas acontece que às vezes os ânimos se extrapolam um pouco e é preciso parar o espetáculo.

Justamente por isso, a Loudwire fez há algum tempo um compilado que mostra 10 vezes em que bandas pararam shows para salvar fãs por diversos motivos.

É claro que o mais comum é o fato de alguém ter se machucado e precisado de socorro durante a apresentação — na seleção do portal, é o que aconteceu com Stone Sour, Linkin Park, Hatebreed e Trivium, sendo que em cada uma dessas vezes os vocalistas interviram para pedir ajuda dos profissionais e colaboração do público.

Há, no entanto, outras questões que ocasionaram isso. É o caso do Queen, por exemplo, onde as pessoas pareciam estar forçando a grade de segurança e obrigaram Freddie Mercury a dar uma bronca para que as outras pessoas, mais distantes, não fossem colocadas em risco.

Caso também do Chevelle, no qual parece ter havido uma confusão durante a performance e a polícia/segurança do local acreditou que alguma roda punk ou algo do tipo era uma briga e usou spray de pimenta para separar os espectadores. A banda parece desesperada no palco, se perguntando se havia algo que eles poderiam fazer e explicando que isso era normal em shows de Rock.

Por fim, mas definitivamente não menos importante, também aparecem casos onde os integrantes atentam para violência com mulheres e, pelo menos em um caso específico, impedindo uma situação terrível.

Trata-se de Kurt Cobain que, durante um show do Nirvana, percebeu um homem tentando abusar sexualmente de uma garota e simplesmente se levantou do palco e foi diretamente até o cara, que foi embora do local rechaçado.

Da mesma forma, Zack de la Rocha xingou os homens que estavam se aproveitando e “tirando a roupa” de uma mulher durante show do Rage Against the Machine e Aaron Lewis, do Staind, soltou o verbo contra alguns que estavam se aproveitando de uma garota que parecia ter 15 anos.

Shows são momentos de muita catarse, mas acontece que às vezes os ânimos se extrapolam um pouco e é preciso parar o espetáculo.

Justamente por isso, a Loudwire fez há algum tempo um compilado que mostra 10 vezes em que bandas pararam shows para salvar fãs por diversos motivos.

É claro que o mais comum é o fato de alguém ter se machucado e precisado de socorro durante a apresentação — na seleção do portal, é o que aconteceu com Stone Sour, Linkin Park, Hatebreed e Trivium, sendo que em cada uma dessas vezes os vocalistas interviram para pedir ajuda dos profissionais e colaboração do público.

Há, no entanto, outras questões que ocasionaram isso. É o caso do Queen, por exemplo, onde as pessoas pareciam estar forçando a grade de segurança e obrigaram Freddie Mercury a dar uma bronca para que as outras pessoas, mais distantes, não fossem colocadas em risco.

Caso também do Chevelle, no qual parece ter havido uma confusão durante a performance e a polícia/segurança do local acreditou que alguma roda punk ou algo do tipo era uma briga e usou spray de pimenta para separar os espectadores. A banda parece desesperada no palco, se perguntando se havia algo que eles poderiam fazer e explicando que isso era normal em shows de Rock.

Por fim, mas definitivamente não menos importante, também aparecem casos onde os integrantes atentam para violência com mulheres e, pelo menos em um caso específico, impedindo uma situação terrível.

Trata-se de Kurt Cobain que, durante um show do Nirvana, percebeu um homem tentando abusar sexualmente de uma garota e simplesmente se levantou do palco e foi diretamente até o cara, que foi embora do local rechaçado.

Da mesma forma, Zack de la Rocha xingou os homens que estavam se aproveitando e “tirando a roupa” de uma mulher durante show do Rage Against the Machine e Aaron Lewis, do Staind, soltou o verbo contra alguns que estavam se aproveitando de uma garota que parecia ter 15 anos.Fonte: R7